Rio - 17 de dezembro de 2014

Rumo à Alerj


Foram 25 dos 73 anos de vida dedicados ao Legislativo carioca. Eliomar Coelho se despede da Câmara Rio depois de cumprir sete mandatos em que confirmou seu compromisso com os movimentos sociais – cuja interlocução norteou dezenas de ações e a elaboração de políticas no campo da luta e da resistência. Deputado estadual eleito para a Assembleia Legislativa, Eliomar seguirá atuando em busca de justiça social e direito à cidadania, com atitude, ética e coerência. O foco agora será a Região Metropolitana do Rio de Janeiro, formada por 21 municípios.

A elaboração da Lei Orgânica do Município, em 1990, e do Plano Diretor Decenal do Rio de Janeiro – que dita diretrizes e metas para a cidade –, em 1992, se destacam na trajetória de Eliomar. O parlamentar já apontava a importância de uma política integrada em face ao impacto provocado pela interelação entre os municípios da Região Metropolitana. A pressão do Mandato Eliomar Coelho para a Câmara Rio encaminhar, em 2010, a revisão do Plano Diretor, como estabelece o Estatuto da Cidade, terminou com voto contrário de Eliomar. Sem diagnóstico, mapeamento prévio, planejamento urbano ou análise dos Projetos de Estruturação Urbana (PEUs), o novo Plano Diretor virou uma “colcha de retalhos” ineficaz.

Incansável na fiscalização do Executivo, não foram poucas as vezes em que Eliomar votou contra o lobby da especulação imobiliária e do empresariado que quer benefícios em detrimento de melhorias para a população. Afinado com o interesse coletivo e público, lutou contra a tentativa de privatização da Educação e da Saúde e denunciou projetos ilegais e equivocados, como o reajuste salarial irregular e a aposentadoria compulsória para os vereadores. No combate à política neoliberal, que se fortaleceu no governo do prefeito Eduardo Paes, Eliomar foi oposição firme no Legislativo como membro da bancada do PSOL.

Ano emblemático, 2013 foi marcado pelas “jornadas de junho” – manifestações que explodiram em todo o país. Ao pedir a instalação da CPI dos Ônibus – que pretendia investigar denúncias de cartelização e abrir a caixa-preta das empresas do setor para obter transparência sobre o valor das tarifas –, Eliomar ajudou a desencadear um movimento sem precedentes no Legislativo que acendeu a participação popular e resultou no Ocupa Câmara. No mesmo ano, o mandato apoiou a luta dos professores da rede municipal que sofreram descabida repressão policial.

A luta por educação pública de qualidade, por transporte público integrado e eficiente, pela valorização dos servidores municipais, por ética no Executivo, por planejamento urbano e política habitacional (contra as remoções motivadas pelos megaeventos), pela preservação ambiental e o incentivo à cultura popular pautaram a atuação de Eliomar. O parlamentar foi pioneiro no incentivo ao Carnaval de rua ao lançar, há 15 anos, o guia “Rio que Encanta” com a programação dos blocos.

A eleição para a Alerj foi a confirmação da confiança de seus eleitores. Eliomar leva para a Assembleia o amadurecimento e a experiência do trabalho realizado como legislador municipal com as reflexões e percepções sobre os problemas existentes na cidade e no seu entorno adquiridas na vida parlamentar. Quem votou e ajudou a conduzir Eliomar Coelho à Alerj sabe que ele fará diferença no Palácio Tiradentes.

Discurso da despedida
Eliomar Coelho
“Eu costumo falar que vou viver 140 anos. Se houver alguns descontos, digamos que eu chegue aos 100 anos. Um quarto destes 100 anos passei nesta Casa. Um quarto, 25 anos! Aqui eu vivi, aqui eu aprendi, aqui eu fui eleito deputado estadual. Deixo de ser vereador, mas não deixo de ser desta Casa. Queria deixar muito claro que cheguei aqui imbuído de propósitos, com convicções, na certeza de que iria fazer ações voltadas para garantir uma melhoria de condições de vida para os moradores e moradoras da nossa cidade.” Leia na íntegra ou veja o discurso com os apartes de vereadores que cumprimentaram Eliomar em sua despedida no Plenário da Câmara Rio.