Rio - 21 de novembro de 2012

A prefeitura e os gastos milionários

Há seis anos atrás, quando a banda The Rolling Stones se apresentou no reveillon da praia de Copacabana, a prefeitura arcou com 16% do custo total do show, ou seja, o montante de R$ 1,6 milhão. Agora, pretende dispor de R$ 7 milhões dos cofres públicos para trazer o cantor Stevie Wonder para a festa da orla. Nada contra Stevie Wonder. “Por que no Rio tudo tem que ser mais caro e sem transparência?”, questionou Eliomar em matéria publicada no jornal O Dia, com grande repercussão nas redes sociais. O prefeito parece não ter nenhum pudor em investir em itens que não são prioritários. Já gastou R$ 44 milhões a mais que o previsto com a Riotur. O mandato também denunciou despesa ilegal de R$ 13 milhões acima do permitido em período eleitoral, quando a propaganda é vedada pela legislação eleitoral.

Politizando
A eleições municipais de 2012 trouxeram a mitância do PSOL para as ruas . O Comitê do partido na Ilha do Governador, que foi muito ativo durante a campanha, organiza o seminário “Politizando”, no próximo sábado, dia 24 de novembro, a partir das 8h, no Colégio Carpe Diem, que fica na Estrada do Galeão, 872, na Ilha, com participação de Eliomar Coelho. Marcelo Cozzolino, fundador do PSOL, fala sobre movimentos sociais e o sociólogo Léo Lince discorre sobre partido político. O objetivo do movimento Cidadania Pra Valer – como foi batizado o coletivo do bairro – é contribuir para a formação política e fortalecer o embasamento teórico dos movimentos.

Remoções na tela
O documentário “A caminho da Copa”, de Carolina Caffé e Florence Rodrigues, reúne depoimentos de moradores removidos em diferentes comunidades do Rio. As histórias se parecem e a dor de perder a casa construída com esforço é a mesma. Suely Afonso da Costa, da Vila Harmonia, mostra o documento de titulação do imóvel e pergunta: “eu sou invasora?”. O filme tem depoimentos do jornalista Juca Kfouri, da relatora especial das Nações Unidas para o direito à moradia, Raquel Rolnik, e do urbanista Carlos Vainer, do IPPUR/UFRJ (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano da Universidade Federal do Rio de Janeiro). Veja na seção sobre remoções do site do mandato.

Resistência na aldeia

Vígilia e ocupação da Aldeia Maracanã por militantes de movimentos civis reforçam a resistência contra a demolição da antiga sede do Museu do Índio, ao lado do Maracanã. Conheça a história da retomada do terreno por várias etnias indígenas, a partir de 2006, e assista ao vídeo da entrevista com índio Urutal, do povo Guajajara, que tem como denominação mais abrangente o nome Tenetehára. Zé, como é mais conhecido, é um dos residentes.

Rio antigo
Foto marcante de Marc Ferrez mostra um negro vendedor de cestas no século XIX. Na passagem de mais um Dia da Consciência Negra, vale a pena ler novamente a entrevista do economista Marcelo Paixão sobre racismo.