Ato público dos Moradores de Vila Taboinha

Os moradores de Vila Taboinha farão um Ato Público, hoje, às 14h, em frente ao Fórum do Rio. Eles querem ser ouvidos pela Justiça.

Abaixo, veja a convocação da Associação de Moradores da Vila Taboinha que resume a situação dos moradores.

” A Juíza Érica Batista de Castro nunca permitiu que os verdadeiros moradores da Vila Taboinha se defendessem. Ela acusou a nossa associação de querer tumultuar o processo.

A Juíza teve mais interesse que os próprios autores pois eles já tinham abandonado o processo há mais de dois anos e ela própria convocou um perito, já em 2010. No dia 09/11, ela mandou executar o despejo sem querer nem saber o que poderia ocorrer com as mais de 200 famílias pobres que ali vivem.

A secretaria de Habitação foi à comunidade, na hora do despejo, para oferecer aluguel social, e depois disse que ia dar um cheque para cada família cadastrada, mas quem receber o cheque não tem direito a mais nada. Sabemos que o programa “Minha casa, Minha Vida” não tem lugar pra todo mundo e a maioria das habitações ficam em lugares distantes do nosso trabalho e das escolas dos nossos filhos. E o nosso direito de morar? Quem vai garantir?

Pra piorar, a prefeitura marcou várias casas e cadastrou várias famílias que não estão dentro do terreno que está sendo processado na justiça.

Agora, os desembargadores do Tribunal de Justiça estão com as nossas vidas em suas mãos! Queremos que as irregularidades da juíza Érica Batista de Castro sejam julgadas! Queremos ser ouvidos pela Justiça, coisa que nunca tivemos!

No acordo da prefeitura com a juíza, a juíza não quis saber o que era melhor para as famílias; só pensou no proprietário. Porque tem tanto interesse em liberar um terreno que estava abandonado há mais de 20 anos? Chega de Injustiça!”

Esta entrada foi publicada em Cidade, Direitos Humanos, Prefeitura e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Ato público dos Moradores de Vila Taboinha

  1. Roger de Sena disse:

    Questão de justiça!
    Fazer a desapropriação do terreno e alojar as famílias de acordo com regras de urbanismo e usando o bom senso.
    Será que é impossível agir assim?
    Todo apoio às famílias desalojadas e cruel e injustamentemente tratadas como criminosos.
    Aos especuladores urbanos, que sejam penalizados, no mínimo, pelo atraso no pagamento dos encargos referentes às terras.

    • eliomar coelho disse:

      Caro Roger,

      O bom senso e o senso de justiça são fundamentais na hora de resolver questões fundiárias que envolvem população de baixa renda.

      Abs,
      Eliomar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>