Notícias

Aumento imoral

Hoje (8/1) fomos surpreendidos com reajuste de 11% no salário do governador em exercício, Claudio Castro, de seus secretários e subsecretários. O governador afastado, Wilson Witzel também recebeu o benefício. Temos que fiscalizar sempre. Servidores estão sem reajuste desde 2014, o estado passa por dificuldades financeiras e atravessamos a maior crise sanitária de todos os tempos. Não era a hora de uma decisão dessas.

Com essa atitude, Castro desobedeceu ainda a decisão do Tribunal Misto que julga o processo de impeachment de Witzel, de cortar em um terço o salário do governador. Após receber notificação do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RJ), Castro voltou atrás e disse que irá acatar a medida de reduzir o salário de Witzel, mas dele e do seu secretariado o governador afirma que está correto.

Servidores que estão na ponta deveriam ser a prioridade, governador.

Não podemos considerar natural essas movimentações, esses atos abusivos dos governantes. O governador tenta se respaldar na lei e deixa a população de escanteio, mostrando suas verdadeiras prioridades. Castro precisa ser cobrado e mostrar qual o impacto dessa barganha no orçamento do estado.

Leia mais

Esta postagem está também no Facebook do Eliomar

Esta entrada foi publicada em cidadania, Cidade, Notícias, Orçamento, Plano Diretor, Politica, Saneamento, Saúde, Servidores. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>