Rio - 11 de dezembro de 2019

Balanço da Cultura em 2019

Nesta sexta (13), na Alerj, acontece o lançamento da cartilha Painel da Cultura Fluminense 2019, elaborado pela equipe da Comissão de Cultura presidida por Eliomar. Leia mais

Mobilização derruba PL imoral de governo

Uma forte mobilização conseguiu que Witzel recuasse e retirasse da pauta desta segunda-feira na Alerj (9) o projeto de lei que acabava com o Fundo Estadual de Cultura. Leia mais

Luta para impedir mais um absurdo de Witzel

Witzel quer destruir diversos fundos estaduais e usar, arbitrariamente, o dinheiro carimbado para políticas públicas específicas e fundamentais. Estamos em obstrução permanente para impedir esse absurdo! Leia mais

Ataque à autonomia dos professores

Governo do estado usa verba da Educação para impor aos professores da rede estadual a compra de livros superfaturados, conteúdo direcionado e local sem infraestrutura na capital, criando empecilhos para os profissionais do interior. Leia mais

Não à militarização das escolas

Apresentamos emenda ao Orçamento do estado 2020 para impedir que a verba da educação seja destinada a este projeto que é uma farsa e representa um enorme desrespeito aos educadores e princípios fundamentais da educação. Leia mais

Cobal Humaitá é tombada

Por meio do Projeto de Lei 1305/2019, de autoria de Eliomar, esse importante espaço gastronômico e cultural carioca ganha uma proteção a mais contra os tubarões da especulação imobiliária. Leia mais

Crivella, cadê o Trem do Samba?

Crivella, mais uma vez,  comete um ato ilegal. É clara a Lei 2886/1999, de autoria de Eliomar e sancionada pelo prefeito Conde: o Trem do Samba (Pagode do Trem), como parte das comemorações do Dia Nacional do Samba, integra o calendário oficial da Cidade do Rio de Janeiro e o Poder Executivo deve adotar as medidas cabíveis a sua realização. Leia mais

RIO ANTIGO

Paço Imperial, número 48 da Praça Quinze de Novembro, no Centro da cidade. Construído em estilo Barroco, entre 1738 e 1743, no local funcionou a antiga Casa da Moeda. Na fundição, era processado o ouro vindo das Minas Gerais. As moedas foram cunhadas ali até 1814. Foi moradia de governadores e vice-reis, sede do reino, centro administrativos do Império no Primeiro e Segundo Reinados re repartição pública  no período republicano. Atualmente é um Centro Cultural, onde são feitas exposições, além de dispor de uma biblioteca de arte e arquitetura (Biblioteca Paulo Santos). Viaje no tempo