Rio - 11 de dezembro de 2013

Como será 2014?


Em 2013, o povo foi às ruas protestar e várias Câmaras municipais foram ocupadas, incluindo a do Rio de Janeiro. Um aumento das passagens em janeiro foi ventilado pela prefeitura o que já provocou convocações nas redes sociais para manifestações. Com intuito de avaliar o ano que termina e pensar e planejar ações para 2014, o PSOL carioca faz plenária amanhã, dia 12/12, às 18h, no IFCS, no Largo do São Francisco.
Dia: quinta-feira, 12/12
Hora: 18h
Local: IFCS, no Largo de São Francisco, no Centro do Rio

Fim lamentável
“O Legislativo carioca está terminando o ano de forma lamentável. Eu me deparei aqui com uma Sessão Extraordinária suspensa, porque estava havendo uma reunião. Reunião para discutir um projeto que é uma imoralidade que querem empurrar goela abaixo mais uma vez aqui nesta Casa (o PLC 114/2013 que altera o gabarito da Barra da Tijuca). Um verdadeiro absurdo, porque são projetos para atender estranhos interesses, que não são interesses da maioria da população, e sim de pequenos grupos. Nós defendemos um mandato exercido para defender interesses da cidade e dos moradores desta cidade”, discursou Eliomar Coelho. Veja íntegra do pronunciamento de Eliomar em que o parlamentar protesta contra a forma como vêm sendo conduzidos os trabalhos legislativos na Câmara.

Luta e indignação

O ano termina com a CPI dos Ônibus suspensa. O mandato continua aguardando o julgamento do mérito da ação na Justiça que ainda analisa os argumentos apresentados pela Procuradoria da Câmara Rio alegando que não houve ilegalidade na formação da comissão. A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, em segunda instância, acatou, em setembro, recurso do bloco da oposição que arguiu falta de proporcionalidade na comissão. Enquanto isso, Eliomar Coelho trabalha para conseguir realizar diligência na secretaria municipal de Transportes solicitada pelo Mandato e negada pelo órgão. A Procuradoria da Câmara continua ignorando os pedidos do vereador a fim de que se cobre o direito de averiguação junto àquela secretaria. “Uma vergonha o secretário de transportes dar prêmio de mobilidade ao Metrô pelos serviços prestados durante a Jornada Mundial da Juventude quando sabemos que foi um caos”, criticou Eliomar em discurso no plenário. A Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes (Agetransp) chegou a aplicar uma multa de R$ 1.082.624 à concessionária pela confusão causada por pane durante a JMJ. Foto Cícero Rodrigues

Especulação ilegal
“Como é que vão transferir potencial de uma área onde não se pode construir para outra? Depois a gente não sabe porque o povo, do lado de fora desta Casa, se refere à Câmara de Vereadores como uma casa de ladrões”, afirmou Eliomar Coelho ao jornal O Dia na reportagem “Câmara aprova às pressas mudança de gabarito na Barra”. O PLC 114/2013 enviado pelo prefeito Eduardo Paes ao legislativo permite mais três pavimentos em prédios residenciais e cinco pavimentos em hotéis. A matéria sequer foi discutida porque o líder do governo, vereador Guanará, apresentou um requerimento pedindo o encerramento da sessão em que o projeto foi aprovado em primeira discussão, na semana passada. Uma atitude totalmente antidemocrática. O Mandato Eliomar Coelho votou contra e deu voto contrário novamente na segunda votação.

Chega de Amarildos

Apesar da divulgação dos responsáveis pela morte do pedreiro Amarildo – desaparecido após ser detido por policiais da UPP da Rocinha – moradores da favela vêm denunciando a rotina de tiroteios e o tratamento agressivo e desrespeituoso por parte da PM. No próximo sábado (14/12), às 16h, o ato “Onde está o Amarildo”, na passarela da Rocinha, lembrará o assassinato do trabalhador. É um protesto contra a política faz-de-conta das UPPs do governo Cabral.

Remoção, o filme
Será exibido no próximo dia 13/12, às 19h, no Morro da Providência – uma das favelas atingidas pela política de remoções vinculada aos megaeventos – o filme “Remoção”, de Luiz Antonio Pilar e Anderson Quack.
Dia: sábado, 13/12
Hora: 19h
Local: Largo da Igreja, no final da escadaria

Cinema engajado

A Caixa Cultural abriga, este ano, a 8ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, de 17 a 22 de dezembro. Serão exibidos 38 filmes divididos em quatro sessões diárias. O filme “A Onda traz” (foto), de Gabriel Mascaro, mostra o cotidiano de Rodrigo, portador de deficiência auditiva, e seu mundo de ruídos, vibrações e incomunicabilidade. O documentário de Thereza Jessouroun, “Quando a casa é a rua”, enfoca outra questão: a vida de crianças e jovens que cresceram e vivem nas ruas do Rio de Janeiro e da cidade do México. Veja a programação. A entrada é franca.

Luta por autonomia
Carolina Peters
“Há algumas semanas, Rafael Correa — o mesmo presidente equatoriano eleito pelos movimentos sociais; que enfrentou o mercado financeiro pedindo a auditoria da dívida pública; que conduziu um processo constituinte cujo texto final foi redigido no masculino e feminino e divulgou campanhas governamentais de combate ao machismo — ameaçou renunciar ao posto caso fosse aprovada a descriminalização do aborto em caso de estupro. A proposta foi feita pela deputada Paola Pabón, de seu próprio partido. O argumento contrário do presidente era a defesa constitucional da “vida” (do feto) desde a concepção.” Leia artigo na íntegra.

RIO ANTIGO
No tempo em que ainda não havia máquina fotográfica eram os cartões postais que garantiam o registro da evolução urbanística das cidades. O livro “O Rio de Janeiro em antigos cartões postais: Arquitetura e Paisagismo no Século XX”, do designer Leonardo de Mello Ribeiro Pinto (Documenta Histórica Editora) é uma reunião de antigos postais obtida a partir de minuciosa pesquisa. Viaje no tempo