Rio - 11 de setembro de 2013

CPI sem plano: farsa e caos

São evidentes os sinais de inconsistência nos trabalhos da CPI dos Ônibus. A Rio Ônibus sequer deveria ter sido chamada a depor neste momento. Os presidentes dos consórcios, e não seus advogados, deveriam ter sido convocados. O executivo, por sua vez, é o responsável maior pelo caos dos serviços e pelo caos informativo. Quem afinal são as empresas que tem operado efetivamente o sistema BRT Transoeste? Tais equívocos vão para além da falta de domínio, mas faz parte do jogo de dissimular e confundir… Leia na íntegra a análise do mandato Eliomar Coelho sobre a CPI. Leia também a matéria: “CPI dos Ônibus para inglês ver”.

Investigação paralela
Eliomar Coelho encaminhará pedido de diligência à secretaria municipal de Transportes. O parlamentar tem uma lista de demandas e quer respostas. Acesso ao inteiro teor dos estudos e diagnósticos técnicos que embasaram a elaboração do edital de licitação e a relação de multas emitidas por infrações cometidas por todos os consórcios e empresas, desde 2011, são algumas das solicitações. Saiba que informações Eliomar quer averiguar.

Gratuidade para quem precisa
A fim de estender o benefício da gratuidade aos alunos bolsistas da rede particular do Rio, Eliomar apresentou projeto de lei 1042/2007. A proposta determina que estes estudantes – de famílias de baixa renda – fiquem isentos de pagamento de passagem. A matéria está no Ordem do Dia da Câmara Rio para votação.

Mobilização para a CPI do Fundeb

Uma plenária de educadores em prol da CPI do Fundeb está marcada para hoje, às 18h, no auditório da Câmara Rio. Faltam 7 assinaturas das 17 necessárias para que Renato Cinco – vereador da bancada do PSOL – possa dar entrada no requerimento que pede a instalação da comissão. A receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais de Educação cresce a cada ano, sempre acima dos reajustes concedidos à categoria, mas está sendo desviada para outros fins. Saiba porque o Rio precisa da CPI do Fundeb.

Retorno sob condições
Os professores decidiram suspender a greve, em assembleia realizada ontem (10/09), mas se mantém em estado de greve a fim de pressionar o prefeito a cumprir um rol de promessas anunciadas. Criar um grupo de trabalho para discutir o Plano de Cargos e Salários, conceder reajuste de 8%, no piso salarial e autonomia pedagógica, que dará ao profissional livre arbítrio sobre a utilização dos cadernos pedagógicos, estão no acordo com a categoria. Na próxima terça-feira, dia 17/09, os professores fazem paralisação de 24 horas e ato público na Cinelândia, às 14h, em defesa das propostas da categoria para o Plano de Cargos e Salários unificado. O prefeito prometeu apresentar a mensagem do Executivo com a proposta do plano na próxima segunda-feira na Câmara Rio.

Em discussão: meritocracia no ensino público
Gesa Linhares
“Em agosto, professores e funcionários das escolas públicas do estado e do município do Rio de Janeiro iniciaram uma greve, muito por causa das questões pedagógicas. “Não é só por salário’ foi uma frase ouvida em assembleias, atos e publicações nas redes sociais, para indicar que a mobilização dos profissionais da educação tinha motivações muito maiores do que as questões corporativas que, normalmente, movem os movimentos grevistas.” Leia na íntegra. Leia entrevista de Viviane Mosé: “Nossa educação hoje é castradora e não cria líderes”

Medalha Careli por todos os Amarildos!
Mês passado, completaram 20 anos do desaparecimento de Jorge Careli, servidor da Fiocruz que foi confundido com um sequestrador e levado por policiais da Divisão Anti-Sequestro quando falava de um telefone público na Favela da Varginha, em Manguinhos. Amanhã, dia 12/09, às 16h, a ASFOC (Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz) entrega Medalha Careli em homenagem à Comissão de Direitos Humanos e Assistência Jurídica da OAB/RJ e à Associação de Moradores da Vila Autódromo. O sindicato repudia a violência nas manifestações populares e cobra responsabilidade das autoridades sobre casos como o de Amarildo, morador da Rocinha desaparecido. Na mesma ocasião, será entregue o Prêmio Sérgio Arouca à entidades que se destacam na luta por saúde e cidadania.
Dia: quinta-feira, 12/09
Hora: 16h
Local: Estação ASFOC – na Fiocruz, que fica próxima à Passarela 6 da Av. Brasil.

Funk é cultura
Funk é uma manifestação da cultura popular. É isso que estabele o PL 4124/2008, do deputado federal Chico Alencar (PSOL), aprovado por unanimidade na Comissão de Cultura da Câmara. A lei deve “assegurar, sobretudo à população jovem de inúmeras cidades brasileiras, o seu direito, constitucionalmente previsto, de democraticamente produzir, desenvolver e usufruir de um bem cultural tão importante para sua vida, sua história e seu modo peculiar de inserção na sociedade contemporânea”, diz a justificativa da matéria.

A crise brasileira e o momento atual
Paulo Passarinho
“A crise brasileira é estrutural e está vinculada a nossa condição de país dependente e, por consequência, subdesenvolvido. O binômio dependência/ subdesenvolvimento é agravado pelo padrão de brutal desigualdade que nos caracteriza – desigualdade econômica, social, regional – e que foi uma decorrência direta da marcha história desse nosso relacionamento externo, sempre de dependência, com centros econômicos mais desenvolvidos. Ao longo do tempo, esses centros – na verdade, os países dominantes em cada diferente período histórico – foram se impondo em relação a nós como os grandes condicionadores do tipo de desenvolvimento que, de fato, acabamos por experimentar.” Leia artigo na íntegra.

RIO ANTIGO
Infelizmente, não foi o primeiro e nem o último acidente causado pelo mesmo motivo: excesso de velocidade. No dia 15 de junho de 1974, o ônibus da Linha 571 (Glória – Leblon) caiu do viaduto Pedro Álvares Cabral, em Botafogo. O registro é do extinto Jornal do Brasil. Treze pessoas morreram, número maior de vítimas fatais que no acidente com o ônibus da linha 328 (Castelo-Bananal), da Viação Paranapuan, que despencou do viaduto Brigadeiro Trompowski na Avenida Brasil, altura da Ilha do Governador, no último mês de abril. O queda do coletivo na Zona Norte deixou um saldo de sete mortos. Viaje no tempo