Rio - 1 de junho de 2011

Eliomar pede CPI da Ciclovia

Para investigar o alto custo da ciclovia de R$ 20 milhões inaugurada na Zona Oeste pela prefeitura, o vereador Eliomar Coelho deu entrada em requerimento, junto à Mesa Diretora da Câmara Municipal, pedindo a instalação de uma CPI. A obra, com preço de rodovia, é alvo de investigação do Ministério Público estadual e já apresenta rachaduras. O parlamentar fez uma vistoria hoje, in loco, e verificou como a obra foi mal executada. Em parte da via, apenas foi pintada uma faixa vermelha na calçada. “A ciclovia é um desleixo total. Foi mal planejada e mal construída. Basta ver para constatar que o preço é absurdo e imoral. Precisamos apurar com rigor casos como esse. Caso contrário, a construção de uma simples sala, pela prefeitura, pode acabar custando o preço de um edifício”, afirma Eliomar. São necessárias 17 assinaturas de parlamentares para que a CPI seja instalada.


O Rio e os megaeventos em debate
Será na próxima segunda-feira, dia 06/05, o debate “O Rio e os megaeventos”, que abordará o impacto que a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 vem causando à cidade em função dos preparativos para sediar os dois eventos internacionais. Na mesa, o vereador Eliomar Coelho e a professora Nelma Gusmão de Oliveira, que investiga o tema para sua tese de doutorado no IPPUR/UFRJ e também analisa a atuação da Autoridade Pública Olímpica. O encontro faz parte de uma série de seminários que o PSOL/RJ está organizando para discutir temas como segurança, privatizações, direitos humanos e a crise na saúde, com a participação de parlamentares da bancada do Rio de Janeiro.

CPI das Remoções enfrenta resistência
O mandato está enfrentando a resistência do Legislativo em encampar a CPI das Remoções. Eliomar Coelho observa que a maioria dos parlamentares faz parte da base de sustentação política do prefeito. Isso se traduz em recusa a apoiar uma CPI que pretende apurar uma política pública que vem claramente ferindo os direitos humanos. Segundo o parlamentar, além de todas as evidências – que vem sendo denunciadas por entidades internacionais como ONU e Anistia Internacional-, o mandato já recebeu queixas sobre indenizações diferenciadas e irrisórias. Eliomar destaca o tratamento discriminatório que as comunidades carentes recebem das autoridades. Casas marcadas sem aviso prévio, ameaças e expulsões forçadas. Tudo em nome da realização de obras de infraestrutura vinculadas aos megaeventos que o Rio sediará. Enquanto isso, o prefeito se compromete, publicamente, a conduzir pessoalmente as negociações com moradores de um condomínio de luxo que será removido. O mandato não desistiu! Mas sabe que está remando contra a maré.
Moção de urbanistas em repúdio à violação dos direitos humanos

Qual o legado da Copa?
Definitivamente, o assunto está na ordem do dia. O Seminário “Copa 2014 – Projetos, Rumos e Perspectivas” debaterá os projetos de engenharia e arquitetura para a Copa. O Crea-RJ, o Sindicato dos Engenheiros e o Sindicatos dos Arquitetos e Urbanistas, entre outras entidades do setor, vão analisar as iniciativas dos governos municipais, estaduais e federal. A preocupação é se o evento realmente deixará um legado para as cidades-sede. Será no próximo dia 07/06, de 8 às 18h, no Clube de Engenharia.

Autoridades, quem será o próximo?
Esta é a frase escrita em um cartaz pendurado no barracão onde morava o casal José Claudio e Maria do Espírito Santo, assassinados, semana passada, no Pará. Outros dois ambientalistas foram mortos depois deste crime. Dos 207 ativistas ameaçados de morte na lista da Comissão Pastoral da Terra, 42 já foram mortos. E o governo declarou, publicamente, que não pode garantir proteção. A aprovação do Código Florestal parece que serviu como licença para desmatar e matar. No artigo, “O Estado não pode lavar as mãos diante de mortes anunciadas”, a CPT faz um histórico das mortes no campo.
Leia o artigo na íntegra na página da Fundação Lauro Campos

Orçamento participativo
Na próxima sexta-feira, dia 03 de junho, às 14h, será realizada audiência pública para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias da Educação, que serve de base para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA). Está prevista a presença da secretária municipal de Educação, Claudia Costin. Participar é a melhor forma de questionar os programas promovidos pela prefeitura e pressionar o Executivo a definir metas corretas e investimento no que é prioritário. A LDO/ 2012 será votada na Câmara Municipal até o final de junho. Na semana que vem, o mandato apresentará suas emendas.

Wilson Moreira comanda roda de samba
O Centro Cultural Solar, de Wilson Moreira, só abre as portas oficialmente no próximo semestre. Mas Moreira marcou para o sábado, dia 11 de junho, uma roda de samba que promete. A carismática Dona Inah, 76 anos, vem de São Paulo para se juntar aos sambistas Nelson Sargento e Agenor de Oliveira. A partir das 14h, muito samba, de Noel a Nelson Cavaquinho, e dos compositores que lá estarão. O Centro Cultural Solar Wilson Moreira fica na Rua Barão de Ubá, 46, Praça Bandeira.

Um olhar poético sobre as ferrovias

“VAIEVEM” é o sugestivo título da exposição de fotografias que exibe registros de ferrovias do estado reunidas no livro VAIVEM. Através das lentes de 10 fotógrafos, estações como Barra mansa, Japeri e Três Rios ganham tons poéticos. A foto acima é de Renan Cepeda. A mostra revela o cotidiano à beira dos trilhos, com imagens de moradores, grafites e até baile funk ao lado de uma das estradas de ferro. Na galeria Largo das Artes, no Largo de São Francisco.

Opine
Você concorda com o novo status de “ex-favela” concedido à 44 comunidades pela secretaria municipal de Habitação e pelo Instituto Pereira Passos?
Opine

Rio Antigo
A Igreja de Santa Rita, no Beco das Sardinhas, resistiu às obras de urbanização no Centro antigo.
Veja e comente