Notícias

Em defesa de uma Educação Pública de qualidade

São muitas as razões que fazem desta medida um absurdo. Escola não é lugar de profissionais treinados para guerras, como são militares das Forças Armadas, mas de profissionais da área da Educação, capacitados para lidar com situações que demandam conhecimento pedagógico e o preparo para mediar conflitos humanos de forma pacífica.

Além disso, o estado tem hoje mais de um milhão de desempregados, incluindo profissionais com experiência em escolas, vivendo em condições de extrema dificuldade, sem nenhuma renda, e o governo quer empregar exatamente uma parcela que conta com ao menos algum tipo de renda, como a de militares da reserva, para funções que não se relacionam com o militarismo.

Seguiremos na luta contra o projeto de militarização das escolas e em defesa de uma educação pública de qualidade, com a valorização dos profissionais da área e um projeto pedagógico norteado por valores democráticos.

Veja mais

Esta entrada foi publicada em Educação, Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>