Notícias

Mandato apoia atingidos pela Transolímpica


Em reunião nesta segunda-feira (21/11), no Ministério Público, com o procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Cláudio Lopes, moradores do condomínio Bosque da Boiuna, em Jacarepaguá, propuseram um novo traçado para a Transolímpica. A construção da via expressa, que ligará Deodoro a Barra da Tijuca, exige a demolição de 20 a 30 casas do local. Foi o vereador Eliomar Coelho quem intermediou o encontro depois de ter sido procurado por líderes da Associação de Moradores do Bosque da Boiuna, localizado em área ambiental. Eles apresentaram, ao parlamentar, proposta de um traçado alternativo que exige a remoção de apenas duas moradias e ainda encurta, em 300 metros, o túnel da BRT Transolímpica. O estudo foi entregue ao procurador-geral que o encaminhou à Promotoria do Meio Ambiente do MP. O Inea (Instuto Estadual do Ambiente) já requereu, à prefeitura, o estudo de impacto ambiental sobre a área. O MP e o mandato acompanharão os desdobramentos do caso.

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Mandato apoia atingidos pela Transolímpica

  1. clara baptista disse:

    rezado, tenho visto seu empenho no apoio aos desapropriados pelas chamadas “trans”. Estou com o mesmo problema. Moro na Estrada dos Bandeirantes e há poucos dias soube que foi publicado no dia 4/1/13 o decreto desapropriando meu imóvel. Meu imóvel é arborizado, e é o único até então na área. Tive uma reunião com o subprefeito Tiago no qual mostrei alternativas para fazer a rua que liga a Bandeirantes a Salvador Allende. Inclusive, pasme o senhor, mostrei a eles que já existe uma rua que faz a mesma coisa e que foi ocupada por construções irregulares. Mostrei alternativas de terrenos desocupados e de terrenos que não possuem arvores. O resultado foi que a única opção para rua é o meu imóvel. Estudando o assunto, vi que não tem laudo de impacto ambiental de onde moro. Eu sou moradora e o restante são depósitos e área livre, além da tal rua que já existe. Eles ferem vários princípios constitucionais. E parece que tudo bem! três coisas eu não entendi. 1º por que preferem desapropriar morador com área de 1000 metros arborizado e não um depósito que não tem arvore? 2º pq não utilizam a rua que já existe? 3º pq não pega a area que não tem nada, pois foi tudo demolido por uma construtora que tem a intenção de fazer um prédio? Outra coisa que não entendo: pq a prefeitura prestigia quem é irregular e pune quem é regular, possui RGI e paga seus impostos? Não tive resposta para nenhuma delas, principalmente com relação ao laudo ambiental dessa área aqui. Há sim como mudar o traçado, eles que não querem. O que o senhor me aconselha? Estou com intenção de representar no MP do meio ambiente e na fazenda pública com uma ação declaratória de nulidade de decreto expropriatório com pedido de liminar. O que o senhor me diz? Pode me aconselhar? São 28 arvores onde vários micos, aves e esquilos buscam alimentos. Sem contar as plantas. Grande abraço Clara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>