Blog

O Estado é laico, mas STF quer escola confessional

Para nosso mandato a educação religiosa e confessional deve se dar a partir da família ou em espaços privados próprios. É uma questão de foro íntimo, particular. As disciplinas de história e sociologia já abordam o tema da religiosidade expondo sua diversidade e as diferentes interações das religiões na história da humanidade. A discussão em ambiente escolar pode e deve abordar esse tema, através de uma perspectiva sociológica.

A escola pública é e deve permanecer laica, como um espaço de respeito à pluralidade e diferentes pensamentos.

Vivemos um momento onde uma onda conservadora, através da atuação de grupos fundamentalistas, tem estimulado, exatamente, a intolerância religiosa, principalmente em relação às religiões de matriz africana. Professores têm sido perseguidos e tenta-se proibir a discussão de gênero e sexualidade, tão importante.

A adoção do ensino confessional – permitido em recente decisão do STF nas escolas públicas – vai reforçar esse comportamento de ódio e disputa de grupos religiosos em detrimento de uma educação laica, democrática, socialmente referenciada e emancipatória.

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>