Blog

Opine: 44 ex-favelas?

Uma nova classificação da secretaria municipal de Habitação e do Instituto Pereira Passos decretou: o Rio tem 44 ex-favelas. O critério para a mudança de status é que estas comunidades já teriam serviços básicos. Moradores, no entanto, discordam da nova avaliação dos órgãos da prefeitura.

Enquanto a SMH e o IPP acreditam que as favelas podem ser consideradas bairros, os moradores continuam listando problemas que não condizem com esta nomenclatura: falta de saneamento, de urbanização e lixão.

Incluídas na lista, as favelas com UPPs também carecem de investimentos sociais. Em entrevista ao jornal O Globo, o secretário de Segurança, José Maria Beltrame, reclamou da falta de investimentos que garantam a cidadania dos moradores, sem os quais, em sua opinião, o projeto de segurança do estado não se sustentará.

Opine. Você concorda com esse novo status? Estas favelas podem ser consideradas bairros?

Esta entrada foi publicada em Blog e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Opine: 44 ex-favelas?

  1. Saudações

    É a velha história de mudar o nome, mas a estrutura é a mesma: precária.
    Eufemismos são sempre utilizados pelas “otoridades” para mascarar a incompetência e o descaso com a população pobre. Aí temos pérolas como “comunidade”, “população carente”, “local humilde”.
    Locais que são habitados por pessoas pobres, com baixa escolaridade e onde impera a injustiça social são “lugares desassistidos pelo Poder Público” e não “carentes”. Carentes mesmo são os políticos que se aproveitam da miséria alheia para se manter no poder, são carentes de vergonha.

  2. Pingback: Eliomar pede CPI da Ciclovia | Eliomar Coelho - PSOL - O vereador do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>