Notícias

Paquetá exige respeito!

O que aconteceu ontem em Paquetá é covarde, criminoso. Turistas que visitaram a ilha não conseguiram retornar devido ao descaso da CCR Barcas com o aval do governo estadual. A grade de horários estabelecida não atende a população e aos visitantes de Paquetá, assim como não respeita as regras sanitárias necessárias durante a pandemia. Moradores precisam se sujeitar, todos os dias, a barcas lotadas para ir e voltar do trabalho.

Não à toa que Paquetá ocupa o 10º lugar dos 160 bairros com mais alto risco de Covid-19 no Rio. A aglomeração nas barcas da CCR é tão responsável por tudo isso, que segundas e terças-feiras são os dias da semana de maior número de casos de atendidos pelo Hospital Villaboim. Ontem, cerca de 200 pessoas não puderam embarcar no horário das 18:30 depois de um passeio à Ilha de Paquetá, devido à lotação da embarcação. O próximo horário disponibilizado pela CCR Barcas é às 23h30.

Exatamente há um ano, moradores de Paquetá passavam pelos mesmos problemas, que agora estão exacerbados pela pandemia. A CCR com o aval do governo reduziu os horários das barcas sem nenhum diálogo com os mais afetados – os moradores da ilha. Em fevereiro do ano passado conseguimos junto ao movimento criado pela população, conhecido como #RepeitaPaquetá e com apoio do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do Estado, restabelecer a grade de horários.

Infelizmente isso não durou muito e, em março, em plena pandemia, a Secretaria de Estado de Transportes autorizou novamente a redução de horários das barcas da linha Paquetá – Praça XV em função do plano estadual de contenção da Covid-19 e diminuição da circulação de todos os meios de transporte do estado e do município do Rio. Em junho, apesar de decretada a flexibilização, o transporte da população da Ilha de Paquetá não foi restabelecido. Moradores ficaram refém de um horário restrito e fazendo um trajeto de cerca de uma hora em embarcações com 100% de ocupação. Nos finais de semana, visitantes têm que amargar intervalos de 4 a 5 horas para embarcar de volta para o continente após o dia de lazer.

Nosso mandato já está organizando uma audiência pública para que representantes da CCR Barcas e da Secretaria de Transportes possam ouvir os moradores de Paquetá. Vamos mediar esse encontro para que a solução seja rapidamente alcançada. O direito de ir e vir da população, dos seus familiares e dos visitantes da ilha precisa ser garantido. Peço ao presidente da Alerj, deputado André Ceciliano, para que haja uma intervenção conjunta – Executivo e Legislativo –, junto com a população, para colocar um ponto final e resolver esta situação. Paquetá resiste!

Esta postagem está também no Facebook do Eliomar

Esta entrada foi publicada em cidadania, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Habitação, Meio Ambiente, Notícias, Politica, Saneamento, Saúde, Servidores, Transportes, Urbanismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>