Notícias

Pezão garfa salário de educadores

Pezão começou a cobrar o aumento da alíquota previdenciária de alguns servidores mesmo com os salários ainda atrasados. Isso é um confisco dos salários. No dia 9 deste mês, o Sepe (Sindicato dos Profissionais de Educação) ganhou liminar impedindo o aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14%, aprovado em maio pela Alerj com o nosso voto contrário.

O Executivo deve verbas remuneratórias a professores. A cobrança da alíquota ainda neste ano é inconstitucional! Além dos educadores, que recebem os salários com as verbas do Fundeb, os demais servidores seguem penando para ver o dinheiro pingar em suas contas. Nem o 13° salário do ano passado foi pago ainda.

Não dá nem tempo de o servidor pôr em dia as contas atrasadas. Enquanto o governo Pezão pagou R$ 4 mil de juros pagos à Petrobras, porque atrasou o ressarcimento do secretário de Educação, Vagner Victer, que é funcionário cedido ao estado, os servidores da Educação estão usando seus poucos recursos para pagar juros de suas contas de casa em atraso.

Não é de hoje que não existe mais calendário de pagamento para os servidores. Virou uma imoralidade!

Assista a Eliomar na Tribuna da Alerj nesta terça-feira (17/10)

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>