Rio - 23 de maio de 2012

Prefeito faz plágio de projeto do mandato

Causou-nos revolta e indignação a postura do prefeito Eduardo Paes. Ao invés de sancionar o projeto de lei do mandato Eliomar Coelho, que amplia de quatro para seis meses a licença-maternidade das servidoras municipais, aprovado por unanimidade na Câmara Municipal, o prefeito baixou decreto com o mesmo teor. Rechaçamos qualquer falácia do prefeito, travestida de justificativa, porque sabemos que o Legislativo carioca tem, sim, competência legal para legislar sobre o assunto. Leia mais

Copabana com PSOL

Foi animada a atividade do PSOL no belo domingo de Outono (20/05) quando militantes coletaram assinaturas para o abaixo-assinado que exige a instalação da CPI da Delta, solicitada pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), na Alerj. O vereador Eliomar Coelho e o deputado federal Chico Alencar (PSOL) também participaram do encontro onde prestaram contas de seus mandatos. Quem comandou a festa, que reuniu mais de 500 pessoas, foi o cantor Lucio Sanfilippo que fez até Freixo entrar na ciranda. Veja mais fotos

“Cidade Limpa”, uma grande farsa
Eliomar Coelho
O decreto “Cidade Limpa” do prefeito Eduardo Paes, que promete livrar a cidade de propagandas e outdoors, beneficiará as empresas patrocinadoras da Copa e Olimpíadas. O tal decreto só vale para áreas nobres do Rio de Janeiro e enquadra os patrocinadores dos megaeventos em um item de exceção. Leia artigo na íntegra

Favela de grife
Nos últimos anos, a prefeitura tem colocado em prática um arsenal de decretos e arbitrariedades por parte dos seus agentes da SEOP e da secretaria municipal de Habitação no sentido de impedir que os moradores de favelas possam reformar suas casas, ampliá-las e até construí-las. Mas o fechamento do Pouso (Posto de Orientação Urbanística e Social) no Vidigal – logo depois da instalação de uma UPP – aponta para uma nova direção. Sai o principal instrumento da prefeitura para fiscalização da favela e implanta-se o verdadeiro laissez-faire para quem pode pagar o novo patamar de preços da terra. Se o proprietário for estrangeiro ou empresário disposto a investir na elitização, terá toda a possibilidade de construir como bem quiser. Leia mais

Freixo responde…
No debate “O Rio tem solução”, marcado para o próximo dia 31 de maio, quinta-feira, às 18h30, quem dará a resposta é o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). Quem organiza o encontro com o parlamentar é o Fórum Popular do Orçamento, do Corecon (Conselho Regional de Economia). O debate será no auditório do Conselho que fica na Avenida Rio Branco, 109, 19° andar, no Centro.

Um engodo oficial?
A partir de uma “consulta pública”, o Ministério das Cidades baixou portaria para regulamentar “deslocamentos involuntários” provocados por intervenções urbanas vinculadas aos megaeventos. Porque a portaria omite o caráter seletivo das remoções – que atingem populações vulneráveis e desrespeitam o direito à moradia garantido pela Constituição Federal e por tratados internacionais – foi elaborado um manifesto contra a falácia da medida governamental. O documento é assinado pelo vereador Eliomar Coelho e por movimentos da sociedade civil organizada, entre eles o Fórum Comunitário do Porto.

Puxadinhos da Lagoa

Se é verdade que a prefeitura deu prazo para que o Complexo Lagoon retire os equipamentos de refrigeração que desfiguram o Estádio de Remo da Lagoa, a empresa ignorou. Os puxadinhos do shopping center seguem avançando Lagoa adentro e novos foram instalados. Enquanto isso, os atletas do remo continuam sem um Centro de Treinamento. “Nossos governantes repetem que “a Olimpíada não deve servir-se da cidade mas a cidade é que deve servir-se da Olimpíada para melhorar a qualidade de vida da população. Só faltou dizer de que cidade estão falando”, critica Alessandro Zelesco, ex-presidente da Federação de Remo do Rio de Janeiro, que lidera movimento em defesa do Estádio de Remo da Lagoa.

Ação truculenta
Quem para no sinal na esquina da Rua do Russel com a Praça Luís de Camões, na Glória, deve ter reparado no simpático ambulante que oferece água e refrigerantes em uma bandeja. De forma truculenta, a Guarda Municipal apreendeu a mercadoria do rapaz que levou uma “gravata” dos agentes da prefeitura. Vídeo denuncia a ação truculenta.

Rio antigo
O útimo bondinho puxado por burros que circulou até 1928