Blog

Rio antigo: Cordão da Bola Preta ontem, hoje e sempre!


Imagens históricas (e contemporâneas) do bloco mais antigo do Rio estão espalhadas no Largo da Carioca, reproduzidas em plotagens de grandes dimensões. Os acordes de “Quem não chora, não mama”, a marchinha carro-chefe do Cordão da Bola Preta que nasceu em 1918, arrastaram 2 milhões de foliões, no ano passado, no desfile da Avenida Rio Branco. A multidão que segue o carro de som do bloco – e se multiplica a cada ano – é o melhor retrato da proporção que o Carnaval de rua ganhou nos últimos anos. A exposição de fotos do bloco fica montada até o dia 29 de fevereiro.

Fundado por uma dissidência do Clube dos Democráticos, o Cordão da Bola Preta surgiu de um desencontro amoroso entre uma colombina e um remador do Botafogo conhecido como Caveirinha. Em entrevista ao jornal “A Pátria”, em 1930, Chico Brício – um dos fundadores – contou como o amigo tentou, em vão, encontrar a mulher mascarada de fantasia branca com bolas pretas, que fugiu depois de dar um beijo em Caveirinha. A partir daquele carnaval, estava fundado o Cordão da Bola Preta, uma lembrança da colombina desaparecida para sempre.

Foliã no carnaval de 1962


Chico Brício festeja aniversário do Cordão da Bola Preta

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>