Blog

Rio antigo: Igreja de Santa Luzia, à beira-mar, no século XIX

O Rio de Janeiro é uma cidade cheia de aterros. Hoje, trafegamos por avenidas no Centro do Rio sem pensar que antes eram mar. É o caso da região próxima a Igreja de Santa Luzia que ficava totalmente à beira-mar (foto de George Leuzinger). A Rua Santa Luzia só foi aberta em 1812, para que Dom João VI pudesse transitar de carruagem até alcançar a igreja, que ficava em frente à praia de Santa Luzia. Reza a lenda que Dom João exigiu acesso ao lugar a fim de pagar promessa que fizera, pedindo a saúde do seu neto, Infante D. Sebastião – portador de uma doença desconhecida que atingia seus olhos. Diferentes versões dão conta que a igreja teria sido construída em 1519, a pedido do navegador Fernão de Magalhães, que teria depositado no templo erguido uma imagem de Nossa Senhora dos Navegantes, ou em 1592, com ajuda de frades franciscanos. Oficialmente, foi erguida em 1752, apenas com uma torre. Ganhou a arquitetura que preserva até hoje, com duas torres, depois da reforma realizada em 1872. Os aterros em torno da Igreja foram feitos a partir de 1922, com a demolição do Morro do Castelo, que tornava a praia quase isolada e deserta. Na foto abaixo, a região já completamente transformada, na década de 60. Veja a praia de Santa Luzia de outro ângulo.

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>