Blog

Rio antigo: o ônibus e o palácio que não existem mais

Uma cena datada. Um ônibus elétrico passando em frente ao Palácio Monroe. Ambos desapareceram da paisagem em épocas distintas. O Palácio sucumbiu ao processo de urbanização que trouxe o Metrô para a cidade. E o ônibus elétrico sucumbiu ao surgimento do coletivo movido à gasolina. Reportagem da Gazeta Mercantil, enumerou as características do veículo: possui quatro motores elétricos (cada um em uma roda), duas baterias de 58 elementos em série que formavam os acumuladores, dois freios mecânicos, rodas duplas de borracha maciça, oito lâmpadas internas, dois faróis externos. Pesavam 3,5 toneladas e tinham capacidade para 32 passageiros, com assentos confeccionados em palha da Índia. Curiosamente, no dia em que entrou em operação, em 1918, um dos coletivos se envolveu em um acidente e ficou bastante avariado, possivelmente porque a carroceria era de madeira. O modelo lembrava um bonde sobre rodas, o que imprimia àquele meio de transporte um perfil um tanto quanto excêntrico.

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Rio antigo: o ônibus e o palácio que não existem mais

  1. O sistema hidroelétrico evoluiu e a exploração do petróleo e seus derivados também, o grande problema da PEA(população econômica ativa) sempre foi o transporte publico que tem como seu principal concorrente à Industria Auto motores que está sempre em evolução dando preferência o consumo dos derivados do Petróleo. O Metrô, O Trem, BEST(Bonde elétrico de Santa Tereza) realmente será o melhor e único transporte publico das grandes cidades brasileiras para as presente e futuras gerações se depender de Nós.

    Um abraço forte!!!

    • Eliomar Coelho disse:

      Caro Wellington,

      Somente o transporte de massa pode solucionar nosso problema. Mas um transporte de massa eficiente. Veja como o Rio está se tornando uma cidade engarrafada, a exemplo de São Paulo. E mesmo nos fins de semana.

      Abraços fraternos,
      Eliomar

      • Ler>O Globo- Amanhã>terça feira 17.09.2013>Pg.23>HORA DE REPENSAR O TRANSPORTE URBANO>datas como o Dia Mundial sem Carro e a Semana da Mobilidade são momentos para fomentar a continuidade da mobilização sobre o tema>1.As questões urbanísticas>2.Questões empregatícias>3.Questões de infraestrutura viária>Tomo como exemplos duas ações adotadas….A primeira
        formação do Conselho Municipal de transito e Transporte…A segunda foi criação de novos corredores e faixas…

  2. Domingo>15.09.13> Rio> O Globo>pg.23>>ônibus H2+2 pode Ser alternativa para reduzir poluição>Há ainda outras barreiras, com desenvolvimento de estações de abastecimentos de hidrogênio e qualificação de mão de obra.>Discussão sobre quais opções são melhores>O Protótipo da…roda com hidrogênio, energia cinética – a do – movimento- em ELETRICA>A Alemanha institui um circuito de ônibus a hidrogênio . É TECNOLOGIA DE PONTA.(Modelo da Coppe substitui veículo tradicional, mnão será usado na Copa.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>