Blog

Rio on Watch: “Em Memória à Habitação Pública na Atlanta Pós-Olímpica”

No Rio tem sido relatado que o número de pessoas removidas de suas casas devido aos mega-eventos já ultrapassa 8.000. Milhares de outras remoções estão planejados nos preparativos para a cidade receber os Jogos Olímpicos.

Como previamente reportado no RioOnWatch, em um artigo analisando os jogos de Londres no ano passado, a remoção em massa dos mais pobres é uma marca replicada em cada cidade que recentemente hospedou as Olimpíadas. Aqui o antropólogo Tarey Milton olha para os complexos habitacionais demolidos para os jogos de 1996 em Atlanta e descobre que apesar das comunidades terem literalmente sido destruídas os ex-moradores estão mantendo viva a memória de sua ex-comunidade.

Em 27 de fevereiro de 2011 em Atlanta, estado da Georgia, EUA, a implosão de um dos últimos complexos de moradia popular aconteceu entre uma entusiasmada multidão de estudantes da universidade Georgia Tech, famílias e representantes públicos. Num primeiro momento parecia haver a falta de pessoas que moravam no Complexo Habitacional Roosevelt. Uma estudante sentada perto de mim inquiriu sobre o paradeiro dos ex-moradores e eu a informei que eles foram dispersos pela cidade, assim como, por outros municípios e em alguns casos até em outros estados. De repente, houve um ensurdecedor ‘boom!’ e o prédio caiu em questão de segundos.

Observando a reação da multidão percebi duas senhoras idosas que não dividiam o mesmo entusiasmo das outras pessoas. Eu me aproximei delas e iniciei uma conversa sobre a eficiência da demolição e descobri que ambas foram moradoras do complexo habitacional. Um olhar de ausência estava estampado em cada um de seus rostos como se tivessem perdido um ser amado. Uma das mulheres me disse que viveu no Complexo Roosevelt durante 23 anos. Ela nunca tinha ouvido falar sobre alguém dizer pra você deixar a sua casa após pagar o aluguel em dia durante todo o tempo. Eu perguntei a ela se estava confortável em seu novo bairro na comunidade de Atlantic Station, bairro mais nobre que o seu anterior. Ela respondeu que já havia se mudado há um ano e não se sentia satisfeita porque a amizade compartilhada no complexo popular não existia mais. Durante sua caminhada ela disse não ter visto outros ex-moradores na demolição provavelmente porque seria muito doloroso assistir ou porque eles já deveriam ter se mudado.

Desde 1995, Atlanta tem demolido todos os seus complexos habitacionais e trocado estas por comunidades de renda mixta. Baseado em uma pesquisa atual sobre habitação pública em Atlanta, eu explorei a forma como os moradores dos antigos complexos de moradias populares optaram por manter a memória de suas antigas vizinhanças através de encontros sociais, narrativas pessoais e trabalhos sociais.

Preservação da Memória no Espaço Público

Em 11 de setembro de 2010 no English Park, uma multidão de três gerações de ex-moradores da comunidade de habitação pública Bankhead Courts reuniram-se para lembrar seu antigo bairro. A demolição das comunidades de Bankhead e Hollywood Courts em 2011 marcou não apenas o fim dos dois maiores complexos habitacionais em Atlanta, mas também o fim de uma celebração estabelecida pela vizinhança que acontecia uma vez por ano. A celebração anual era uma oportunidade para os atuais e antigos moradores apresentarem músicos locais, outros artistas, relembrarem memórias do passado e fortalecer os laços da vizinhança através de churrascos e eventos esportivos. Após os ex-moradores terem sido deslocados ao longo do estado eles retornaram para seus ex-bairros para comemorar suas antigas moradias nos parques públicos, dando continuidade ao feriado da comunidade. O Hollywood Courts Day foi realizado em 9 de maio de 2010 no Collier Park. O encontro social reuniu nativos de uma comunidade que havia sido vibrante para restabelecer vínculos, assim como lamentar a perda do complexo de moradia derrubado. A mudança do evento do conjunto anterior para um espaço público não parou as tradicionais celebrações dos ex-moradores, mas, ao contrario, reforçou a noção de coesão comunitária em tempos de realocações ocorridas por toda cidade.

Rede Social Comemorativa

Em contrapartida à obituários ou serviços memoriais, novos memoriais na Internet, através das redes sociais, tornaram-se memórias vivas das instalações das habitações públicas de Atlanta. Sites foram criados em nome de Bankhead Courts, Hollywood Courts e Bowen Homes para permitirem aos antigos moradores postarem mensagens, fotos e comentários nos fóruns de discussões. A observação dos sites tem mostrado uma uniformidade de pensamentos expressivos comemorando a erradicação de uma estrutura social que para os moradores anteriores estabeleciam um agenciamento humano. Contribuições online incluem elogios e testemunhos como o abaixo:

saudades de vc hollywood ct (lágrimas)

descanse em paz hollywood court

Eu sinto falta de bankhead que era minha casa onde cresci, lá todos meus amigos estavam e eu estive lá desde 1998 até 2000, eu sinto muita falta de todos vocês, descanse em paz bankhead courts.

Cara, descanse em paz bowen você conhecia os tijolos que nunca serão esquecidos, mas sempre lembrados.

Memoriais virtuais foram iniciados através de discussões online para lembrar eventos significativos nas comunidades ao longo de décadas. Tópicos estimularam discussões sobre crescer em habitações públicas de 1970 a 2009. Memórias de shows de talento, campos de verão, programas escolares e amores perdidos preenchendo as conversas que criaram um registro de longa data para as gerações vindouras.

Memorial Público

Em junho de 2010 as autoridades de habitação de Atlanta estavam em processo de demolição do complexo público Bowen Homes. Enquanto eu estava em frente das propriedades cercadas notei três enfermeiros de resgate fixados no desmoramento de vários prédios. Eu perguntei a eles se Bowen era uma comunidade que necessitava de serviços de tempo em tempo. Os técnicos me falaram de várias ligações sobre ameaças de vida, feridos ou doenças que eles respondiam, semanalmente. Quando eu perguntei a opinião deles sobre a demolição do complexo habitacional eles estavam de acordo que já era o tempo para uma mudança, mas que as memórias de manutenção do bairro são eternas.

Diversos projetos de pesquisa estão sendo realizados com foco na erradicação da habitação pública nos EUA, com cada cientista social oferecendo uma voz para as pessoas que estão sendo marginalizadas através de politicas voltadas para o desenvolvimento urbano. O objetivo da politica HOPE VI (o modelo atualmente sendo seguido nos EUA) é de desconcentrar a pobreza em bairros de baixa renda através de relocação para bairros de renda mixta. Todavia, a minha pesquisa sugere que ex-moradores estão sendo relocados para a exclusão social deixando-os para memorializar suas notórias comunidades. Eles continuam tendo encontros sociais em parques públicos e churrascos, shows de talentos, organizando workshops para artistas em desenvolvimento e reproduzindo memórias de seus bairros perdidos. A pergunta a se fazer é se essa é uma politica de desconcentração de pobreza ou de comunidades?

Tarey Milton é antropólogo da Universidade da Flórida.

Leia matéria no site Rio On Watch

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>