Rio - 28 de agosto de 2020

Sobre o afastamento de Witzel

Reiteramos diversas vezes que o governador Witzel não reúne condições políticas e morais para seguir governando o Estado. Seu governo está atolado em corrupção na área da Saúde, principalmente no momento mais crítico da nossa história. Os indícios de corrupção atingem diretamente o governador, com práticas parecidas e personagens recorrentes e dos anos de (des)governos do PMDB.

WW governa o nosso estado em completo desrespeito aos Direitos Humanos, criminaliza a pobreza e mantém a velha política na questão dos transportes e do urbanismo. Além disso, Witzel está obcecado em vender o patrimônio do Estado. O que ele quer fazer com a Cedae e demais instituições públicas é um crime. Sua política para os servidores e os serviços públicos é de sucateamento em sua totalidade.

Na política fiscal, segue distribuindo incentivos fiscais sem controle, contrapartida e para lá de suspeitos.

Na educação pública, quer transformar escolas públicas, que deveriam ser de excelência na formação humana, em escolas militares.

Em tudo isso, ele se assemelha bastante com quem marchou lado a lado para chegar onde chegou: a família Bolsonaro.

Na Alerj está aberto um processo de impeachment contra Witzel que ele, a todo momento, tenta paralisar por meio de brechas jurídicas.  Vamos seguir buscando que esse processo seja finalizado, com o direito de defesa do governador, e que a conclusão seja o melhor para o Rio de Janeiro.

Mesmo com toda a nossa opinião sobre a tragédia que é o governo Witzel, temos que ficar atentos a possíveis interferências indevidas que possam estar por trás dessas decisões de hoje.

Defendemos a continuidade do processo de impeachment que, por ora, está parado na Alerj aguardando decisão do STF.

Esta notícia está também no Facebook do Eliomar