Rio - 8 de junho de 2011

Todo apoio aos bombeiros

Por considerar a luta dos bombeiros justa e legítima, o vereador Eliomar Coelho propôs, à Mesa Diretora da Câmara Municipal, uma Moção de Solidariedade e Apoio ao movimento da categoria por melhores salários. Eliomar ressalta que eles tentam negociar com o governador desde abril. ” Quem radicalizou foi o governo chamando os bombeiros de vândalos, recusando um encontro com as lideranças do movimento ao invés de acolher as reivindicações de uma categoria tão bem vista, que tem o apoio de 75% da população”, sentencia o parlamentar. Domingo, dia 12/06, tem manifestação na praia. A concentração é às 10h, em frente ao hotel Copacabana Palace.
Leia nota pública do PSOL/RJ em apoio ao movimento

Legado não pode ser prejuízo social

Cidades-sede de Copas e Olimpíadas não registraram ganhos sociais, alertou o vereador Eliomar Coelho, em debate sobre megaeventos realizado na segunda-feira. “Não somos contra os megaeventos mas queremos evitar prejuízos sociais para a cidade”, afirmou o parlamentar do PSOL que criticou a forma como vem sendo conduzidas as remoções em função de obras vinculadas à Copa e aos Jogos Olímpicos de 2016. O encontro organizado pelo diretório do PSOL/RJ contou com a participação da professora Nelma Gusmão de Oliveira – que faz tese de doutorado no IPPUR/UFRJ sobre os impactos dos megaeventos na cidade – e de Alan Mabin, professor de Planejamento Urbano da Universidade de Johannesburgo, na África do Sul. Na foto, da esquerda para a direita, os acadêmicos Alan Mabin e Nelma Gusmão, o mediador Jefferson Moura e Eliomar Coelho.
Leia mais sobre o debate

Um fórum independente dentro da RIO+20
Será no dia 2 de julho, em local a ser definido, o primeiro seminário para agregar movimentos da sociedade civil em torno da preparação estratégica da Cúpula dos Povos para o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20. Quem organiza é o Comitê Facilitador da Sociedade Civil para a Rio+20. A Cúpula será um fórum paralelo e autônomo que acontecerá na mesma ocasião em que a cidade abrigará a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, quando são esperados 150 chefes de estado e 50 mil delegados. Vinte anos depois da Rio-92, a Rio+20 focalizará questões socioambientais como as mudanças climáticas.

Contra o “Código de Devastação”
Para incentivar o engajamento da sociedade civil na luta por um Código Florestal comprometido com a preservação do meio ambiente, foi criado, ontem, o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável. A ideia é unir diversos movimentos e entidades na defesa de uma legislação eficaz e rígida. O Comitê pretende promover a passeata “Um milhão contra a devastação”.

Quem pauta as autoridades?
Eliomar Coelho
“Bastou o jornal O Globo publicar matéria de página inteira mostrando o cenário devastado na região serrana cinco meses após a enxurrada que provocou 916 mortes e deixou 32 mil desabrigados para os governos federal e estadual anunciarem, no dia seguinte, um conjunto de obras no valor de R$ 678 milhões. Coincidência? As autoridades se pautam pelo fato consumado? Constroem suas agendas a partir das denúncias da mídia?”
Leia o artigo na íntegra

Opine
Causou supresa e indignação a notícia sobre a concessão de licença para instalação do canteiro de obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. O Ministério Público Federal do Pará já entrou com 12 ações civis contra o empreendimento. O Conselho Indigenista Missionário denuncia que habitantes nas aldeias e margens do rio ficarão praticamente sem água em função da redução acentuada do volume hídrico. Você concorda com a concessão de licença para a construção da usina?
Opine

Verdades sejam ditas
Jean Wyllys
“Eu nasci em 1974, na periferia miserável de Alagoinhas, Bahia, quando a Presidência da República estava sob o ditador Ernesto Geisel. Quando me entendi por gente, o regime de exceção ainda vigorava, mas por aquelas bandas não se falava em ditadura militar. Aquele comunicado da censura oficial que antecipava cada programa de TV, que eu via pela janela do único vizinho com aparelho em casa, nada significava além de um alerta inócuo.”
Leia o artigo na íntegra

Rio Antigo
Registro singular da reforma, no começo do século, da Rua Larga, atual Marechal Floriano, no Centro.
Veja e comente